Tuesday, April 15, 2008

David Linch - Hist de Fotografia

É possível ver um filme realizado por David Linch, que não implique andarmos perdidos entre o passado e o futuro? Um filme que seja narrado respeitando a sequência natural dos factos? 
Sim é possível. Um dos exemplos é "Wild at heart" de 1990.
A história é sequencial mas não deixa de pertencer a um imaginário muito próprio deste realizador. Onde abundam personagens estranhas/ extravagantes, acções incompreensíveis e uma forma muito particular de filmar/captar pormenores. Durante toda a historia desenrola-se uma ligação ao imaginário do filme Feiticeiro de Oz, o que contribui para a estranheza. Como todos os outros filmes ( a excepção talvez seja Inland Empire em que não gostei mesmo, 3 horas de puro "o que é que se passou aqui?") não consigo dizer se gostei ou não, neste apenas, ao contrário dos outros, posso dizer que percebi o que se passou. :)
.......

Estou quase a acabar a " Breve História de Portugal". 
Levou-me mais tempo do que o inicialmente previsto, porque houve capítulos complicados de seguir. Principalmente os capítulos relacionados com a monarquia constitucional e com a republica. A confusão dos capítulos está estreitamente relacionada com a confusão das épocas.
Gostei bastante de ler sobre a historia de Portugal e fiquei com vontade de aprofundar alguns temas/períodos. Mas isso é algo que terá que esperar pela minha próxima ida a Portugal, para que possa escolher e trazer livros.
Entretanto decidi procurar outra coisa para aprender. 
Continuo com história mas desta vez de fotografia. Encontrei uma universidade do Ilinois que disponibiliza as aulas de historia de fotografia em podcast. Já ouvi a primeira aula e o professor Jeff Curto é um "curtido", acho que vai ser uma experiência bastante interessante. Eu sempre gostei de assistir a aulas! :)

2 comments:

Paracletus said...

Também sou apreciador da cinematografia de David Lynch.
Já vi esse filme há muitos anos. A história é espectacular, assim como os desempenhos de Nicholas Cage e de Laura Dern.
Acho que esse filme deve ser o mais acessível de todos os de David Lynch, que é um realizador muito difícil...

vermelhinha said...

Eu acho que David Linch, tem uma visão muito própria do que é a realidade, temporalidade.... Uma exploração do absurdo das situações, quase como que querendo fazer uma relação de que a vida está repleta de situações absurdas, mas como estamos tão embrenhados nela não nos apercebemos de que de facto o são... absurdas.

David Linch é desconcertante, na medida em que quando nos sentamos para vermos um filme, vamos munidos de todos os conceitos, preconceitos, ideias, pensamentos, experiências... ao visionarmos o filme tentamos que o que vemos "encaixe" no que já possuímos, para que faça sentido. Mas nos filmes de David linch, por muito que tu tentes "encaixar", há sempre que abrir concessões, e descobrir novos conceitos.