Thursday, September 4, 2008

Transportes públicos

Desde que comecei a trabalhar, há 9 anos atrás, sempre andei de carro " de rabo tremido". Fosse qual fosse o turno que fazia demorava sempre cerca de 20 minutos a lá chegar de porta-a-porta. Há um ano a trás, pouco tempo antes de vir para aqui, vendemos os nossos carros. Comprámos as nossas bicicletas e para mim parecia perfeito! Raramente precisava de andar de transporte publico e quando o fazia era por motivos de lazer, em que a atitude relaxada nos faz aceitar os imprevistos de maneira mais leve.
Agora que comecei a trabalhar, devo confessar.... tenho saudades do meu carro!
Quando vou trabalhar, acordo às 5:40, saio de casa às 6:10, ando cerca de 7 minutos, apanho o comboio das 6:24, ando 5 minutos, apanho o tram ( não sei a hora é, porque é o que tiver a sair), ando mais 7 minutos e chego ao trabalho cerca das 7:15. Quem trabalhou comigo sabe que eu chego quase sempre antes da hora, ajuda-me a mudar o ritmo. demoro 1 hora! Até nem é muito, eu sei. Mas às 6h da manhã, parecem 2 ou mais horas. :(
No primeiro dia, ia perdendo o comboio, corri até deitar os meus bofes de fora! Ao chegar perto do comboio, vejo o "pica" quase a fechar a porta. Grito-lhe toda apressada em holandês "Espere, espere!". A resposta vem numa voz muito ríspida, nada condoída com a minha situação "O comboio não espera a vida toda!". Esta pequena frase dita em holandês e de forma ríspida, pode ter o dom de esfrangalhar os nervos de qualquer um. A sensação que dá é que alguém está a despejar em nós a sua frustração, com um rol de asneiras.
No dia seguinte ao sucedido, prometi a mim mesma que não iria correr para o comboio. Como estava enganada! Foi no sábado, cheguei mais cedo á estação e pus-me à espera. Às 6:24, o comboio não vinha e algo me disse para verificar o horário. Ainda bem! O primeiro comboio ao sábado é às 6:54!!!! Tocar a campainha de alarme em todo o meu ser.... corri para casa, subi três andares para apanhar as chaves da bicicleta, desci, pedalei o mais rápido que consegui, para a estação de Haarlem e apanhei o comboio das 6:45! Nunca fiz o caminho de casa até à estação tão rápido, nem sequer sabia que era capaz de o fazer! Demorei metade do tempo que costumo demorar!
À tarde quando regresso, não costumo correr porque não tenho hora marcada para chegar a casa, embora eu esteja tão cansada que quero chegar o mais depressa possível. Geralmente, os transportes que apanho vão sempre tão cheios, que vou tal e qual sardinha em lata. O que não tem piada nenhuma quando as pernas pesam chumbo e as costas nos doem imenso! :(
O meu respeito pelas pessoas que sempre apanharam transportes públicos cresceu exponencialmente.
Quem está habituado (como eu estava), a sair a porta do prédio e ter o seu transporte - carro- à espera, não sabe dar o valor ao cansaço que causa andar de transportes públicos, mesmo que corra tudo dentro do previsto!
Não me lembro quem me disse ( Joana?, João?, Carina?) que podia aproveitar esse tempo para ler. Sim, poder podia se ( e é um grande SE) de manhã, não tivesse tanto sono, e à tarde não tivesse tão cansada! Talvez com o tempo crie um novo ritmo e um novo hábito! ???

3 comments:

jcleto said...

tens de "aprender" a ler nos transportes publico, é a melhor maneira de passar o tempo :)

Cletoana said...

realmente, só de ler esse texto já fiquei cansada de tanta correria... Mas pensa positivo, acho preverivel correrias dessas do que estar sem fazer nada... eu cá, estou farta de não fazer nda... :) Boa sorte para esses hábitos! :)

Angelo said...

Como te entendo! Como não moro em Tokyo, porém, os transportes andam sempre vazios... Mesmo assim muitas vezes atrasados... E nem são muito confortáveis!!!
Mas nunca levei com uma resposta dessas. Sobretudo de manhã! Acho que tirava o dia para digerir a coisa!
E meia hora à espera a um sábado de manhã! UI!

Mas nunca andei de cú tremido! :)