Thursday, June 12, 2008

A cont. do exorcismo!

Aconselho a lerem primeiro o post anterior!

Os pais têm a possibilidade de estar presentes 24 horas, com camas para poderem dormir. Todos os quartos estavam numa profunda desarrumação. Estavam todos muito cheios, tipo com os pertences dos pais e crianças espalhados por todo o lado! Uma pessoa mal se podia mexer! Com comida espalhada! Tudo ao contrário que nos é ensinado em Portugal! Podia ser diferente para melhor, mas não me parece!

E continua, a presença dos pais é muito utilizada para tirar responsabilidade dos enfermeiros. Banho, alimentação, micção e evacuação não é com eles. Eles são os senhores da medicação. Não temos de ser nós os responsáveis a 100% por essas actividades, uma vez que se trata de actividades normais, que são mantidas em casa. Mas e a avaliação e observação e essas actividades proporcionam???? Serei eu apenas muito desconfiada que quando uma mãe diz que acha que a cabeça do filho está demasiado vermelha ( sem causa aparente) eu queira observar os resto do corpo para ver se a vermelhidão não está no resto do corpo, para perceber se é algo a valorizar ou não? ou eles é que são desleixados? E já agora serei só eu que não acho normal (Eu e a Juliana de certeza!) um recém nascido internado estar 3 dias sem tomar banho???

O aspecto geral do serviço era uma perfeita confusão. Havia tralha por todo o lado, entre imensos brinquedos ( em bom estado o que é uma coisa positiva!), balanças, "dinamaps", suportes de soro e bombas infusoras, que estavam pelo corredor sem um local especifico para nada! Cada vez que precisas de alguma dessas coisas, dás 3 voltas ao serviço inteiro a procurar onde as coisas estão! E já agora dás mais uma volta para ires buscar o cabo que está numa outra sala no outro lado do serviço!!!

Estive lá 6 horas, andei quilómetros, sem nenhum resultado efectivo, apenas a andar de um lado para o outro à procura de coisas.

Durante essas 6 horas, não foi falado inglês! nem mesmo à hora de almoço! Custou imenso! Senti-me burra! Conforme me tornava mais cansada menos percebia o que diziam! Não falaram inglês! Não falaram um pouco mais devagar! Inclusive falavam sem olhar para mim, o que não ajuda nada a quem está a fazer um esforço enorme para aprender! Sei e tenho a consciência que não percebo o suficiente e que vou ter de aprender mais e melhor!

No final o resultado foi negativo, ele disse-me que eu não estou preparada para trabalhar lá por causa do meu holandês!

Resumindo eles não gostaram do meu holandês, eu não gostei nem do serviço, nem da forma deles trabalharem, estamos quites!!!!

Enfermeiras que me lêem , eu sei que são poucas mas eu adorava saber a vossa opinião! Deixem-me um comentário ou enviem-me um mail!

1 comment:

Sandra said...

Não são só enfermeiras que lêem o blog...achei muito surreal essa sua descrição do funcionamento dum Serviço de Pediatria...quase que me pareceu o malfadado mês que passei no Amadora-Sintra em 2002. Como é que é possível que num país tão bonito, "arrumadinho" e organizado, onde aparentemente tudo funciona muito melhor do que em Portugal, existam serviços assim? Aí também existem hospitais privados? As coisas também funcionam do mesmo modo lá?